Página Principal >
 
  
Use o botão verde do seu comando MEO e marque o número 493222 para ver os vídeos da TV Municipal no seu televisor
Clique para consultar a Matriz Energética de S. João da Madeira
Clique para aceder a informações sobre projetos financiados pela UE
 
Ferramenta de georreferenciação do Licenciamento Zero
Clique aqui se pretender aceder ao novo balcão eletrónico da CCDR-N
Clique aqui se pretender aceder ao site da Direção-Geral do Território
Educação e Acção Social Ambiente Desporto Cultura Capital do Calçado

  Subscreva!
Registe-se e receba as novidades da Câmara Municipal de S. João da Madeira na sua caixa de correio!

 
Bem-vindo a S. João da Madeira online!

Junta Metropolitana do Porto não quer deslocalização da API para Lisboa

2006-04-11
A Junta Metropolitana do Porto (JMP) reprovou “inequivocamente”, em reunião extraordinária convocada para o efeito, a possibilidade de o Governo fazer deslocar a sede da Agência Portuguesa de Investimento (API) para Lisboa, embora mantendo uma delegação no Porto.
A estrutura metropolitana considerou ainda “extremamente grave” que o poder central possa persistir numa “estratégia de afunilamento e centralização do país”, a qual – no parecer dos dirigentes da JMP – tem conduzido Portugal à divergência com os seus parceiros europeus. Tal estratégia tem vindo a repercutir-se negativamente na Região Norte que, segundo os principais indicadores, é a que tem sido mais prejudicada.

Assim, a JMP decidiu solicitar uma reunião com o Ministro da Economia, Manuel Pinho, com o objectivo de com ele abordar não só a questão referente à API, como fundamentalmente os projectos concretos do Governo para o combate à crise que tem assolado, de forma particularmente gravosa, esta região de Portugal.

Na qualidade de Presidente da JMP, Rui Rio qualificou de “profundamente grave” o facto do actual Presidente da API, Basílio Horta, ter apelidado de “ridículo2 o problema. “Tem o direito à sua opinião, mas, ao pensar assim, está em confronto connosco, porque, para nós, o tema não só não é ridículo como é muito importante. É preocupante que o Presidente da API não perceba a dimensão do problema para esta Região”, afirmou o autarca.

Rui Rio defendeu ainda não ser compatível a Agência ficar situada no Porto com a circunstância de todos os membros do seu Conselho de Administração viverem em Lisboa.
A JMP verberou ainda o facto de as intenções nem sempre corresponderem aos actos, quando está em causa a necessidade de descentralizar, apontando como exemplos, para além da API, as decisões de instalar no Porto as sedes da Entidade Reguladora da Saúde e do IAPMEI, cujos resultados práticos não obtiveram ainda qualquer concretização.

Relativamente a este último organismo, refira-se que a decisão foi publicada em Diário da República, em 17 de Agosto de 2004.
“A exagerada concentração de todos os centros de decisão em Lisboa, não sendo sequer positiva para a própria capital, atrasa o nosso ritmo de desenvolvimento e corta as carreiras profissionais a muitos portugueses competentes, que, por viverem longe da capital, são normalmente ultrapassados por outros menos capazes e menos produtivos”, refere a JMP em comunicado.

Adicionar comentário



 
 
 Agenda cultural AMP
Agenda cultural metropolitana
 
 Destaques


Protecção Civil»

Participação/Discussão Pública»

Recursos Humanos

Em defesa do Hospital»

Ementas - Serviço de Refeições Escolares»
 

 
Separador horizontal
Clique aqui para aceder a informações sobre o Banco Local de Voluntariado
Projecto «Cuidar de Quem Cuida»
Revista sonora «Visão Inclusiva»
Recolha seletiva de óleo alimentar
Contactos | Últimas atualizações | Declaração de privacidade | Ficha técnica | Acessibilidade
Telefones úteis | Farmácias | Protecção Civil | Sugestões/reclamações | Perguntas frequentes

Todos os direitos reservados / 2005-2015 © Câmara Municipal de S. João da Madeira