EXTRAVAGANZA # CENTRO DE ARTE OLIVA

De 13 de abril a 15 de setembro, mais de sessenta obras de arte bruta e outsider apresentadas na exposição Extravaganza, no Centro de Arte Oliva.

Sob o signo do bizarro, da anomalia e do absurdo, a curadora Antonia Gaeta reuniu uma seleção de obras da Coleção Treger/Saint Silvestre (TSS), acervo que desde 2014 está em depósito neste centro de arte, localizado em São João da Madeira, onde tem vindo a ser apresentado num programa contínuo de exposições temporárias.

De acordo com a descrição da curadora, o projeto da exposição “assenta na estranheza, na obsessão pelo obsceno e o nonsense, na recusa de regras lógicas onde há espaço para abstrações, o gosto pelo absurdo, a incongruência e todo tipo de paradoxos.”

A exposição coloca a par obras de artistas clássicos da arte bruta como Friedrich Schröder-Sonnenstern (1892-1982), Agatha Wojciechowsky (1896-1986), da folk art americana com obras de Mose Tolliver (1920-1986) e de artistas recentes das franjas da arte outsider como Marilena Pelosi (1957) e Derrick Alexis Coard (1981-2017), entre vários outros.

Todas as obras pertencem à Coleção Treger/Saint Silvestre, um dos maiores e mais representativos acervos deste género na Europa. Algumas novas aquisições da Coleção serão apresentadas pela primeira vez ao público, como é o caso das obras de Derrick Alexis Coard. O acesso à exposição na noite da inauguração é livre.

Lista de artistas representados:

Agatha Wojciechowsky, Albino Braz, Alessandra Michelangelo, Anna Zemánková, Anónimo espanhol (Collection Lafora), Aurel Iselstöger, Ben Wilson, Davood Koochaki, Derrick Alexis Coard, Eugene von Bruenchenhein, Friedrich Schröder-Sonnenstern, Gerald DePrie, Giovanni Galli, Henry Speller, Joseph Barbiero, Karl Hans Janke, Margarethe Held, Marilena Pelosi, Mose Ernest Tolliver, Pradeep Kumar, Roger Bezombes, Roy Wenzel, Gorgali Lorestani (Zabiholah Mohamadi), José Manuel Egea, Miroslav Tichý, Hugh Weiss, Giovanni Battista Podestà, Hans Verschoor, Pietro Ghizzardi, Reinaldo de Santis, Terry Turrell, Misleidys Francisca Castillo Pedroso, Ernst Kolb, Pascal Tassini.

Sobre a curadora

Antonia Gaeta (Itália, 1978) é Licenciada em Conservação dos Bens Culturais pela Universidade de Bolonha. Mestre em Estudos Curatoriais pela FBAUL e Doutorada em Arte Contemporânea no Colégio das Artes da Universidade de Coimbra. Desenvolveu projetos de investigação e exposição com diversas instituições artísticas em Portugal e no estrangeiro e tem textos publicados em catálogos de arte, revistas especializadas e programas de exposições. Foi coordenadora executiva das representações oficiais portuguesas nas Bienais de Arte de Veneza (edições 2009 e 2011) e de São Paulo (edições 2008 e 2010) para a Direção-Geral das Artes.

Coleção Treger/Saint Silvestre

A Coleção de Richard Treger e António Saint Silvestre foi iniciada na década de 1980, a par da fundação da galeria em Saint-Germain-des-Près (Paris), que mantiveram durante mais de duas décadas. A sua coleção integra mais de mil obras de cerca de trezentos e cinquenta artistas e acompanha a evolução de diferentes momentos históricos da arte bruta e outsider, sendo neste âmbito uma das mais ricas coleções da Europa. Da coleção fazem parte nomes fundamentais para o entendimento da arte bruta, bem como autores mais recentes da arte outsider e das suas variantes. Para além da amplitude cronológica, a coleção é particularmente especial por incorporar artistas portugueses, assim como artistas provenientes de geografias mais periféricas aos principais centros da Europa Ocidental e América do Norte, estando presente no acervo um elevado número de artistas oriundos de África, Ásia, Europa de Leste, Central e do Sul e também da América Latina Central. A coleção está em depósito no Centro de Arte Oliva desde  2014, onde tem sido apresentada através de um programa contínuo de exposições temporárias.

cultura