Calor: recomendações de saúde pública

Com a temperatura a subir saiba como se proteger dos efeitos do calor na sua saúde.

Tendo em conta o aumento das temperaturas previsto para os próximos dias relembram-se os cuidados a ter com os grupos populacionais mais vulneráveis, a Autoridade Nacional de Proteção Civil chama a atenção para recomendações que os cidadãos devem ter em conta.
 
Desde logo, é importante que todos estejam cientes de que a exposição ao calor intenso pode ter efeitos negativos para a saúde, como a desidratação, o golpe de calor, esgotamento devido ao calor, cãibras e, até mesmo, a morte.
 
Mas estas situações podem ser evitadas, se a população tiver em atenção um conjunto de informações relevantes que podem proteger a saúde face aos efeitos nocivos que o calor pode ter. 
 
Assim, devem ser seguidas as seguintes recomendações e medidas de prevenção:
 
Nos edifícios
  • Verificar o bom funcionamento e manutenção dos estores, das portadas, das janelas, do sistema de climatização ou providenciar a sua instalação;
  • Proteger as fachadas e as janelas expostas ao sol, fechando as portadas e estores, e tornando as superfícies opacas ou reflectoras da luz. Como alternativa podem ser colocadas coberturas de protecção;
  • Manter as janelas e persianas fechadas sempre que a temperatura exterior for superior à temperatura interior;
  • Estudar outras possibilidades de limitar as entradas de calor dentro das salas;
  • Ao entardecer, quando a temperatura no exterior for inferior àquela que se verifica no interior do edifício, provocar correntes de ar, mas tendo em atenção os efeitos prejudiciais desta situação;
  • Privilegiar os espaços protegidos e frescos (idealmente 5ºC abaixo da temperatura ambiente); 
  • Colocar termómetros nas salas para avaliar a temperatura ambiente. Se a temperatura for elevada e não existir sistema de climatização, utilizar ventoinhas e distribuir garrafas com gelo pela sala de forma a facilitar a descida da temperatura ambiente;
 
Ao nível da proteção individual
  • Hidratação - Aumentar a ingestão de água, ou sumos de fruta natural sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede (muito importante para idosos que já não tem a sensação de sede).
  • Alimentação - Devem fazer-se refeições leves e mais frequentes. São de evitar as refeições pesadas e muito condimentadas.
  • Vestuário – Ao andar ao ar livre, usar roupas que evitem a exposição direta da pele ao sol, particularmente nas horas de maior incidência solar. Usar chapéu, de preferência, de abas largas e óculos que ofereçam proteção contra a radiação UVA e UVB.
  • Exposição solar - Evitar a exposição direta ao sol, e saídas, em especial entre as 11 e as 17 horas. Sempre que se expuser ao sol, ou andar ao ar livre, use um protector solar com um índice de proteção elevado (igual ou superior a 30) e renove a sua aplicação sempre que estiver exposto ao sol (de 2 em 2 horas) e se estiver molhado ou se transpirou bastante. Quando regressar da praia ou piscina volte a aplicar protector solar, principalmente nas horas de calor intenso e radiação ultravioleta elevada.
  • No edifício - Se estiver calor no interior do edifício, deixar os bebés e as crianças com vestuário leve, particularmente durante o período em que estão a dormir, sem os cobrir com lençóis ou cobertores;
  • Utilização de transportes- quando houver lugar ao transporte de crianças, ter o cuidado de não as manter muito tempo dentro dos veículos.
 
Para uma informação mais completa, aconselha-se a a visita ao site da Direção-Geral de Saúde (https://www.dgs.pt/areas-em-destaque/especial-verao.aspx), bem como a consulta dos documentos que se disponibilizam em seguida em formato PDF:
 
 
 
 
 
 

 

geral