Começou esta semana novo sistema de recolha de resíduos porta-a-porta

Paralelamente, prossegue a entrega de contentores oferecidos pela Câmara neste âmbito, que vão chegar a 1600 casas.

“Numa casa verde, as embalagens são recursos”. Este é um dos motes do novo sistema de recolha de resíduos domésticos recicláveis porta-a-porta, que começou esta semana a funcionar em S. João da Madeira, por iniciativa da Câmara Municipal e com o apoio do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR).

De acordo com uma calendarização previamente definida e conhecida dos munícipes abrangidos, o veículo da SUMA (empresa concessionária do serviço de recolha de resíduos e limpeza urbana de S. João da Madeira) percorre as ruas da cidade para esvaziar os contentores entregues pelo Município às primeiras das 1.600 moradias unifamiliares que serão abrangidas.

Esses resíduos são posteriormente enviados para o destino adequado, nomeadamente para reciclagem, com uma atenção muito especial ao aproveitamento das embalagens usadas, no sentido de “melhorar cada vez mais os índices da cidade de S. João da Madeira em matéria ambiental”, como afirma o Presidente da Câmara.

Jorge Vultos Sequeira destaca que este novo sistema constitui “um novo passo em frente na gestão de resíduos em S. João da Madeira”, que “trará vantagens ao nível da qualidade de vida dos munícipes e da limpeza urbana, contribuindo para uma cidade mais verde”.

A entrega de contentores a moradias unifamiliares de S. João da Madeira, que começou em setembro, continua no terreno e prevê-se que chegue a cerca de 1600 habitações dessa tipologia, cada uma das quais recebe quatro recipientes (3 para separação seletiva e 1 para resíduos indiferenciados). Nessas visitas, os moradores têm também acesso a informação útil sobre este novo sistema.

ambiente