Hat Weekend 2019 envolve comunidade em espetáculos originais

Angariação de participantes inicia amanhã, terça-feira, 28 de maio, às 18h30, no Museu da Chapelaria, destinada ao Espetáculo Colaborativo do projeto ’’Ondamarela’’. Participação livre.

Uma mão cheia de projetos de criação vão envolver as comunidades de S. João da Madeira naquela que é a programação deste ano do Hat Weekend, a ter lugar entre 19 e 21 de Julho.

Da continuidade do Labirinto Sensorial da Associação Ecos Urbanos ao encerramento com performance original orientada pelo coletivo Ondamarela, passando por instalações urbanas e manipulação de marionetas gigantes, são várias as propostas do festival a serem habitadas por cidadãos, curiosos e artistas da zona. Com esta programação o Hat Weekend pretende envolver mais de 300 elementos da comunidade na criação artística.

Esta terça-feira, às 18h30, no Museu da Chapelaria, o Hat Weekend e o coletivo Ondamarela convidam-no a participar na criação de um novo projeto artístico, a ser apresentado no festival. A ideia é compor, ensaiar e apresentar um espetáculo sobre a cidade do chapéu, em colaboração com todas as comunidades sanjoanenses e todos os que se queiram juntar. No final, será apresentada uma performance única e irrepetível, que ficará na memória de todos.

O Coletivo Ondamarela tem vindo a desenvolver diversos trabalhos com comunidades um pouco por todo o país. Estrearão, em S. João da Madeira, um projeto musical original que envolverá agrupamentos musicais diversos, amadores, iniciantes, mestres e pessoas que nunca fizeram música e fará o encerramento do festival. O objetivo será a composição de um momento musical criado com temas e composições que nasçam especificamente para este território e tenham por base as experiências, hábitos e tradições das comunidades locais.

Comissariado pelo Canal 180, o Circuito de Arte Urbana de S. João da Madeira prevê a criação de um conjunto de peças que vêm reinterpretar a herança chapeleira da região conduzindo à descoberta de novos olhares sobre o património edificado e imaterial da cidade. Iniciado em 2018 com a Mariana, a Miserável, o mesmo conta este ano com as contribuições do espanhol Andrés Lozano e de André da Loba. As suas peças murais partem da exploração e contínua descoberta, no património cultural da cidade, mas também no próprio espaço de intervenção, das memórias e vivências da comunidade sanjoanense. A instalação de Andrés Lozano foi inaugurada a 13 de abril, a de André da Loba será inaugurada a 1 de junho.

Depois do sucesso da edição passada, a Associação de Jovens Ecos Urbanos volta a instalar na cidade um Labirinto Sensorial construído a partir de uma Fundição de Memórias sobre chapéus. Inserido nos espaços expositivos do Museu da Chapelaria e orientado por um coletivo de 12 artistas, esta criação envolve antigos chapeleiros, o grupo de tricô do Bairro do Orreiro, a dança criativa e a oficina de artistas, num projeto construído com mais de 70 pessoas da comunidade. Fundição de Memórias II: O Labirinto Sensorial será um percurso habitado de histórias, de infância, sobre família, sobre sonhos, sobre vidas inteiras dedicadas ao chapéu.

Será um dos pontos altos da programação para o Hat Weekend 2019. Obra original da Companhia S.A.Marionetas de Alcobaça, Lúmen – Uma História de Amor fará percorrer pela cidade um conjunto de marionetas de grande escala (3 a 5 metros de altura), num esforço coletivo que pretende, ao mesmo tempo, homenagear e preservar a história sanjoanense. Envolvendo a Banda de Música de S. João da Madeira e um conjunto de voluntários da cidade, este espetáculo contará com a participação de mais de 80 pessoas, com um repertório de música original e uma apresentação vídeo mapping.

turismo