Exposição “Entre as Palavras e os Silêncios”

Centro de Arte Oliva | Terça-feira a domingo: 10h00 às 12h30 e 14h00 às 17h30

O Centro de Arte Oliva tem patente, até 30 de dezembro de 2022, a exposição “Entre as Palavras e os Silêncios - obras da Coleção Norlinda e José Lima”, com curadoria de Luísa Soares de Oliveira. Incluindo artistas nacionais e internacionais reconhecidos como Paula Rego, Ana Vieira, Damien Hirst, Robert Combas, Lourdes Castro ou Adriana Varejão, integra também nomes de gerações mais recentes, cujas obras foram recentemente incorporadas na coleção.

Patente está cerca de uma centena de pinturas, desenhos, esculturas e instalações, da autoria de 88 artistas e que abarcam um longo período: o trabalho mais antigo, datado de 1957, é uma pintura de Maria Helena Vieira da Silva (Portugal, 1908 - França, 1992) e o mais recente uma escultura de Leda Catunda (Brasil, 1961), datada de 2020. Um conjunto significativo de obras é exposto pela primeira vez no Centro de Arte Oliva, já outras serão agora revisitadas em novas relações.

A partir desta seleção, a curadora convida o público a estabelecer os seus próprios discursos, silêncios e conexões, desafiando-o a construir um percurso individual no contacto com as obras. Estará patente até 30 de dezembro.

A exposição “Entre as Palavras e os Silêncios” teve um primeiro momento de apresentação no Centro Cultural de Cascais, entre 30 de outubro de 2021 e 6 de fevereiro de 2022, naquela que foi a segunda grande apresentação da coleção na região de Lisboa até ao momento.

“Entre as Palavras e os Silêncios” é agora adaptada ao espaço do Centro de Arte Oliva, integrando novas obras recentemente incorporadas na coleção.

A Coleção Norlinda e José Lima é uma das maiores coleções de arte privadas do país: compreende aproximadamente mil e duzentas obras de arte, onde estão representados cerca de duzentos e cinquenta artistas portugueses e duzentos e trinta artistas internacionais.

Foi iniciada em 1980 e abrange um período de quase cem anos balizado entre 1926 e 2020, com maior concentração na produção artística dos últimos quarenta anos. O acervo, em depósito no Município de S. João da Madeira desde 2008, está acessível ao público através de um programa regular de exposições no Centro de Arte Oliva.

município