Separação de resíduos cresceu 21,4% no concelho

No auditório da Sanjotec, Jorge Vultos Sequeira apresentou as mais recentes políticas municipais em matéria de gestão de resíduos e respetivos resultados, que colocam S. João da Madeira a cumprir e a superar as metas nacionais nesta matéria ambiental.

A Câmara Municipal revela dados sobre a produção de resíduos no concelho que indicam que “S. João da Madeira está a caminhar no bom sentido”. O Presidente da Câmara, Jorge Vultos Sequeira, em sessão que contou com a presença de responsáveis das escolas sanjoanenses, autarcas e técnicos do Município e, bem assim, o porta voz da Assembleia Municipal Jovem, explicou que futuro pretende para a cidade em matéria de gestão de resíduos e quais as metas de curto prazo que já estão a ser cumpridas.

Apesar de atípico, fruto da pandemia da Covid-19, o ano de 2020 revelou um impacto positivo que teve a implementação da recolha seletiva porta-a-porta nas moradias unifamiliares. Em pouco mais de ano e meio, 1752 moradias de S. João da Madeira já contam com este sistema que recolhe os resíduos diretamente das habitações, alcançando 21.5% da população residente.

Dos resultados alcançados destaca-se o crescimento em 21,4% da separação de resíduos no concelho e a redução em 4% da produção resíduos indiferenciados, que têm como destino um tratamento mecânico e biológico. Apurou-se que os sanjoanenses encaminham para valorização 22% do total dos resíduos produzidos, acompanhando assim tendências e estratégias de sustentabilidade com base numa economia circular.

Além do mais, em matéria de separação de resíduos, a meta nacional para o ano 2020 fixou-se em 47kg/habitante/ano e, em S. João da Madeira, cada habitante enviou para reciclar 67,6kg de resíduos. Superou-se, assim, o objetivo fixado para a globalidade do país.

S. João da Madeira, 20 de abril de 2021

município

 

Mais imagens