Arranca nesta sexta-feira a recolha de biorresíduos porta-a-porta em moradias

Município entregou contentores para deposição de sobras alimentares e de jardim.

A Câmara Municipal de S. João da Madeira vai dar mais um passo no desenvolvimento da recolha de resíduos porta-a-porta no concelho, lançado em 2019 e que chega já a cerca de 2200 habitações. Para além dos resíduos indiferenciados e seletivos, esse sistema passará a abranger também os chamados biorresíduos (por exemplo, sobras alimentares e de jardim).

Realizada com o apoio financeiro da União Europeia através do programa Portugal 2020/POSEUR, a implementação deste da recolha de biorresíduos permite diminuir o desperdício desses restos, evitando o seu envio para aterro, já que passam a ser encaminhados para valorização, o que possibilita, nomeadamente, o seu aproveitamento para a criação de composto para plantas.

A recolha desta nova fileira de resíduos – a realizar pela empresa SUMA, concessionária do serviço no município de S. João da Madeira – arranca nesta sexta-feira, 21 de outubro, o que constitui, nas palavras do presidente da Câmara Municipal, Jorge Vultos Sequeira, “mais uma importante medida ambiental, que contribuirá para que o concelho continue a melhorar o seu desempenho ambiental”.

Às famílias que já aderiram a esta recolha de biorresíduos porta-a-porta, o município entregou um contentor específico e transmitiu as indicações necessárias sobre o funcionamento deste processo, que se distingue pela sua simplicidade e pelo que representa no sentido do “reforço de S. João da Madeira como uma cidade cada vez mais verde e ambientalmente sustentável”, acrescenta o autarca.

Outubro 2022

município