Cartoons de todo o mundo em S. João da Madeira

Exposição “World Press Cartoon – Top 50” até 9 de novembro na Biblioteca Municipal.

Um dos cartoonistas portugueses mais prestigiados a nível internacional, António Antunes, esteve em S. João da Madeira para a inauguração de uma exposição que reúne alguns dos melhores desenhos de humor, caricaturas e cartoons publicados na imprensa mundial nem 2018. 

Para ver na Biblioteca Municipal de S. João da Madeira até 6 de novembro, com entrada gratuita, esta mostra reúne 50 trabalhos premiados ou distinguidos com menções honrosas na mais recente edição do “World Press Cartoon”, uma iniciativa que tem como mentor o próprio António Antunes.

Na sessão de inauguração realizada a 6 de setembro, o Presidente da Câmara, Jorge Vultos Sequeira, destacou as criações “absolutamente fantásticas” que integram esta exposição, considerando também “um privilégio” contar com a presença do cartoonista António Antunes, “figura de referência da cultura, da imprensa e da liberdade de expressão em Portugal”.

Tendo iniciado uma apresentação regular na cidade em 2008, a exposição dos melhores trabalhos do World Press Cartoon sofreu, entretanto, um interregno, voltando este ano à cidade, reatando uma “boa tradição sanjoanense”, como referiu o Presidente da Câmara.

Retrato da liberdade de expressão

“Voltar aqui é um prazer”, afirmou, por seu turno, o cartoonista, que assina os seus trabalhos apenas como “António”, nome que se tornou numa referência no semanário Expresso e no desenho de humor a nível mundial, não raras vezes alvo de ferozes “ataques” pela sua acutilância na análise da atualidade nacional e internacional.

“Este é um momento complicado para o desenho de humor a nível mundial”, assinalou António Antunes, na inauguração da exposição, lembrando o encerramento de títulos de imprensa, a concorrência da internet e, em particular, das redes sociais e até o aumento da censura e as prisões em alguns países.

“Mas isso, ao invés de nos diminuir, faz do World Press Cartoon um salão mais importante”, acrescenta, considerando que a iniciativa “é um retrato da liberdade de expressão que ainda resta, da liberdade de expressão que resiste”.

Uma realidade que se percebeu ainda com maior acuidade durante a visita guiada que António Antunes proporcionou ao público que esteve presente na inauguração, ao longo da qual percorreu acontecimentos e figuras do nosso tempo vistos à luz da criatividade de grandes cartoonistas de todo o mundo.

 

9 de setembro de 2019

cultura